♡ Minha Paisagem Favorita ♡


Era cinco e meia , ou alguma coisa parecida, e o metrô estava cada vez mais cheio mas eu já tinha garantido meu lugar, era perto daquela porta automática de ferro...talvez, sinceramente eu nunca procurei descobri como eram feitos os metrôs mas mesmo assim agradeço por tê-lo inventado. Seja lá quem fosse. 
A próxima estação era em um lugar aberto e eu estava animada para isso. 
O por do sol já deveria ter começado e a paisagem era dignamente linda; fazia com que eu me esquecesse de tanta gente entrando, de tanta criança vestida com seus uniformes perfeitos, cheios de regras que muito provavelmente era de uma escola militar. Aquela região era cheio delas. 
Adolescentes, jovens e professores era o que eu mais prestava atenção antes ,mas depois que percebi o sol se pondo a algumas várias semanas sempre estava tocando uma música nova e diferente assim como cada foto que eu tirava para meu recente Instagram . 
Fotos do Pôr do Sol no mesmo horário; para percebermos a diferença de cada um e sempre buscarmos agradecer pela maravilha que sempre mudava e não decepcionada ,afinal era sempre mudança para melhor. 
Será que isso realmente era possível? 
O Metrô finalmente parou e o meu sorriso se abriu automaticamente. 
A Senhora ao meu lado comentou sobre as pessoas que entravam e eu concordei com a cabeça sem saber realmente o que ela falava. 
-O céu está lindo né?-perguntei posicionando o celular  para a foto do dia. 
-Como sempre. 
Sorrio para ela e começo a colocar meus fones ,mas a mulher me cutuca e eu volto a olhar para ela. 
-O rapaz ali gostou de você. -  Ela fez questão de apontar para frente com a cabeça enquanto sorria. 
Olho na direção que ela mostra com uma felicidade estranha e contagiante ao mesmo tempo e observo o garoto loiro na minha frente, do outro lado do metrô, em pé, com seu uniforme bege e vermelho e seu sobrenome escrito numa plaquinha de pano vermelha : Fernandes. 
 Seus olhos eram castanhos mas não tenho certeza se eram claros ou escuros por causa dos fortes raios solares que se espalhavam e batiam em nossos rostos. 
Ele parecia concentrado na música que tocava em seu fone pois mexia seus pés calçados com uma bota pesada e preta no provável ritmo da música e os seus ombros largos algumas vezes se balançavam, sem chamar muita atenção; continuando com sua posse de superior e muito bem treinada me fazendo erguer minhas costas por vergonha de sentar toda desengonçada e torta. 
Mas meu rosto se tornava mais quente e provavelmente vermelho ao perceber seus olhos em mim. 
Desvio o olhar para o chão rapidamente o levando calmamente para a janela e logo depois o pôr. 
Fazendo meus lábios se transformassem em um sorriso automaticamente, e com que eu colocasse meu cabelo atrás da minha orelha, quer dizer tentando. Ele sempre saia e eu já me cansei de ficar com raiva dele a toa. 
Finalmente os fones estavam em seu devido lugar e então a música que eu menos esperava ouvir começou. 

Oh, you waited so long 
Sometimes it's hard to stand out 
And you don't have to do anything else 
But be yourself 
Volto meu olhar um pouco assustado para o tal de Fernandes e percebo que ele estava com a testa franzida ,mas assim que percebeu que eu voltei a observa-lo seus lábios se formaram um sorriso e eu olho para os lados e depois para trás e volto a olhá-lo percebendo que eu o fiz rir volto a ficar vermelha mas sorrio para tentar ser pelo menos um pouco normal. 
Youyou dressed up so nice 
But all I could see was your eyes 
Then the crowd came and pulled you away 
Then you were gone 
Ele volta a sorrir e diz um "oi" sem som algum me fazendo rir baixo e dizer o mesmo "oi" que ele ,será que ele me conhece e eu não lembro dele? 
Vejo ele pegar o seu celular no seu bolso  e de repente ele aponta o celular para mim. E faz uma mímica que com toda certeza significava que tiraria uma foto minha. 
Faço que não com a cabeça rapidamente e tampando meu rosto com a minha mão; fazendo ele rir e concordando com a cabeça dizendo que tiraria sim. 
Viro meu rosto para janela e tento me virar por completo ,ficando de costas para o menino estranho que queria tirar uma foto minha ,olho de lado para ele e percebo que ele sorriu por que naquele mesmo momento ele tirou a tal foto. 
 don't even know your name 
All I remember is that smile on your face 
And it'll kill me every day 
Cause I don't even know your name 
Cruzo meus braços como se estivesse brava com ele pelo motivo único que poderia ter ,na minha posição normal, mas não aguento e sorrio assim como ele. 
Faço um sinal para ele parar e então pego meu celular para tirar a foto dele. Mas antes ele pede para esperar e abre sua mochila ,e tira de lá um livro verde . 
Moby Dick . 
Ergo minha sobrancelha e ele ergue seus ombros como se falasse "fazer o que né?" ,e abre o livro e faz um cara concentrada. 
Rio sozinha e tiro a foto. 
Faço sinal de positivo com o meu dedão e ele sorri fazendo uma reverência engraçada. 
Aponto para meu celular e depois para mim e logo para meus olhos  ,tentando falar com que eu queria ver minha foto com a mímica,nosso jogo pessoal e engraçado. 
Ele anda até mim calmamente ainda com o livro em mãos e mostra a minha tal foto. 
Não tinha ficado tão ruim. 
-Nada mal fotografo. -Brinco. 
-Sou profissional.  - Ele fala ironicamente. 
Everywhere that I go 
see your face and it kills me to know 
That you'll never know what you did to me 
And now you're goneyeah, I can't stop thinking about you 
Bato palmas num volume não tão alto e logo o tal automóvel que estávamos fica escuro e eu olho para o lado rapidamente, para confirmar o que eu já sabia. Não veria mais a minha paisagem favorita até amanhã. 
Acho que ele percebeu que fiquei um pouco triste por que ele perguntou se eu estava bem,e eu concordo que sim, e sorrio. 
-É a minha estação. -  A moça ao meu lado começa a se levantar. - Boa conversa crianças. 
Sorrio para a mulher mas ainda duvidando se era preciso fazer isso já que ela nem olhou para mim depois de sair de perto de nós e caminhar para a porta automática. 
Mas foi ai que eu percebi, aquela era minha estação também. 
Ele se sentou ao meu lado e eu olhei para o lugar que o meu querido e favorito transporte público pararia. 
-É  a minha estação também....-sussurro. 
I'm running, I'm searchingand I don't know where to start 
I'm dyingmy love 
You punched a hole right through my heart 
And I won't stop, stop looking until I hold you in my arms 
Cause I'm running, I'm running, I'm running 

Ele olha para mim. 
-Mas eu não estou com tanta pressa...-sussurro novamente . 
Ele sorriu. 
-Isso é bom, eu também não estou. -Ele guardou suas coisas na mochila. -A minha estação também era essa. 
Sorri. - É Sério? 
Ele concorda com a cabeça. - Hoje seria....aliás eu nem sei seu nome. 
Sorrio ao lembrar da música. 
-Almeida. -aponto para seus sobrenome. 
-Sou o Fernandes. 
-É Claro que é. 
don't even know your name 
All I remember is that smile on your face 
And it'll kill me every day 
                                                  Cause I don't even know your name

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tag Pai e Filha.

Dia Internacional da Mulher - Parabéns!